Reflectindo sobre o “Bolo de aniversário” de Paulo Flores

Agosto 29, 2017 - 468 vizualizações

A prova de que com o avançar da idade, vem a maturidade foi o mais recente trabalho discográfico, lançado no passado dia 15 de Junho, pelo cantor e compositor Paulo Flores.

O disco “Bolo de aniversário” está um trabalho cheio de conteúdo, boa mensagem e retrata claramente a actual sociedade que temos... Um cd que dá gosto ouvir.

Paulo Flores, cantou e de certeza a encantar o povo sofrido de Cabinda ao Cunene. As suas mensagens foram principalmente de conforto ao Zé Povinho, como aliás estamos habituados.

Esperamos é que venha a servir de chega para os outros cantores mais jovens mais importados em comercializar, onde mais interessa ganhar dinheiro e, como cantou Paulo Flores, bajular uns e outros.

Esta obra discográfica não é para espíritos fracos. O seu desenlace trágico, pinta em tons fortes os abismos morais e a miséria humana a que o povo angolano está submetido. Mas, como grande compositor que é, Paulo faz mais do que impressionar o nosso sentido moral: impressiona o nosso sentido estético com um poder tal que o convívio diário com esta obra nos marca.

Parabéns Paulo Flores, e que sirva de incentivo para que efectivamente se comece a fazer música do e para o povo.

 

“A todos, tanto na miséria que ri, como na fome que canta, quis fazer um bolo pondo em cima o queimado doce do fundo, porque no fundo Somos festa, porque no fundo vem bem rapado o que presta mesmo quando a dor batuca e enfurece a besta. Quis duzir um bolo qua fosse para lá de fermento. Fosse também vento do que leva toda a mágoa.

A cada provada fatia Esse bolo renovador como água em tons, luz e melodia.” Paulo Flores

Comentários(0)

Log in to comment