Wawe Damásio... E agora?

Novembro 07, 2018 - 232 vizualizações

Cada profissional com o seu mambo: O artista com a arte, e o jornalista com a informação.

É preciso sabermos respeitar cada um, no lugar que escolheu para exercer as suas funções e ser o seu ganha pão, o sustento das suas famílias.

Penso que nenhum de nós, enquanto profissionais sai da sua casa para brincar. E estou mais convicta ainda de que ser artista não é fácil, mas e ser jornalista? É comprar briga com tudo e todos.

O programa “Fala Angola” de Salú Gonçalves, é um programa de denúncias. Onde ENE pessoas têm a liberdade de ligar para fazer denúncias, e o apresentador relata os factos, uma forma da media cumprir o seu papel no auxílio a resolução de problemas sociais que afligem pessoas individuais e/ou colectivas. Nada a ver com rasteiras, para prejudicar A, B ou C. Socialmente, todos erramos. Mas é claro que existem erros e erros, coisas passíveis de denúncias e outras nem por isso.

Acompanhei o programa “Fala Angola”, no dia em que se falou da família de Matias Damásio. E embora acredite que o apresentador não fez nada mais e nada menos do que o seu trabalho, porque MD é tão cidadão quanto aqueles que são também denunciados no mesmo programa, ainda assim, penso que, caso ele quisesse, existe o direito de resposta e ele podia recorrer.

Mas, esperar uma oportunidade para em público ajustar contas com o apresentador e dessa maneira, lesar o público?! É baixaria na certa!

Um público que o levantou, um público que fez dele esse Matias Damásio que é hoje. Um público que antes mesmo do MD ser aceite internacionalmente, o aceitou e reconheceu o seu valor.

É de grande importância que os artistas saibam que sem o seu público, nada são. Lembro-me agora da música “papá” do cantor e compositor, e a expressividade com que cantou esta, e canta muitas outras... E olho para o seu comportamento com muita tristeza.

Matias Damásio e todos os outros músicos que hoje se manifestam, têm de perceber que somos angolanos. Temos de preservar muita coisa e pensar no povo que somos antes de partirmos para certas futilidades.

Embora não se faça sentir, somos conservadores. Estamos para levantar, tanto quanto para baixar, para destruir qualquer coisa que não nos acrescente.

Estou com o público que comprou os bilhetes para assistir ao show, e que foi desrespeitado por Matias Damásio, que não compareceu ao show por “conversas de comadres”.

E as rodas de cerveja hoje dizem: Fizeram a cama ao Homem. Se fizeram, ele aceitou se deitar mesmo com os lençóis sujos que o puseram na cama, porque se Damásio quis ver-se maior que o apresentador do show, podia faze-lo de outra maneira, sem ter de faltar com aqueles que são o oxigénio da sua carreira.

Hoje, embora esteja a ser defendido por muitos, vemos a imagem e o “bom nome” do músico a sofrer um grande massacre.

Já rolam imagens chocantes, da queima do seu cd.

O pedido de desculpas, já não está a ser bem visto, mas como uma estratégia de MD para não ver a sua carreira chacinada.

E eu, como muitos outros, perguntamos: E agora Damásio? Ganhaste lá quiê?

“Não importa a situação, nunca deixe as suas emoções serem maiores que a sua inteligência” Delany Clinton

Comentários(0)

Log in to comment